O ator Rodrigo Lombardi foi racista ou não?

 

Depois da angolano Leila Lopes vencer o concurso de miss universo 2011 e ser vítima de preconceito racial, conforme o Nuve(n) relatou em posts anteriores, agora é a vez analisarmos o que foi dito pelo ator global Robrigo Lombardi, no programa do Faustão. Veja a matéria na íntrega logo á baixo:

O ator global da novela das 23 horas (O Astro), Rodrigo Lombardi, está protagonizando também uma polêmica que começou ao fazer no programa do Faustão do dia 4 de setembro, uma declaração considerada racista por muita gente e “normal” por outro tanto. O ativista amazonense Juarez Silva oferece uma análise bastante lúcida sobre a questão. Assista à declaração do ator e confira a sintética análise feita por Juarez.

Lombardi emocionado citou Sammy Davis Jr. (cantor, dançarino e ator negro norte-americano de muito sucesso entre os anos 50 e 90 do século XX) com a seguinte frase: ”Tem um cara que eu sou muito fã desde criancinha e acho que foi ele que me fez ser artista, juntamente com meu pai. Era um cara que na sua época era negro, caolho, um metro e cinquenta, chamado Sammy Davis Jr, que quando entrava no palco saía com 2 m de altura, loiro, de olho azul”.

Bem, agora vamos à análise da questão… :

1- É óbvio pelo contexto que a intenção do ator era elogiar e enaltecer Sammy Davis Jr. ; um negro, portanto por inferência, a intenção não era proposital e conscientemente ofensiva e nem racista…, na sua cabeça muito pelo contrário.

2- Por outro lado, racismo é uma ideologia em que grupos étnico-raciais e que detém tradicional e histórica supremacia social e econômica em determinado contexto (no caso ocidental e brasileiro leia-se população branca); exercem sobre outros grupos étnico-raciais, histórica e culturalmente condicionada opressão , exploração, desvalorização cultural e estética e embarreiramento sócio-econômico; impondo seus próprios padrões culturais, estéticos, etc… como sendo “superiores e desejáveis” (etnocentrismo).

3- Rodrigo Lombardi (assim como a maioria dos brasileiros “brancos” ); não tem noção de sua mentalidade racista e eurocêntrica introjetada…; essa mentalidade tem sido elaborada há séculos e passa de geração em geração…, de forma naturalizada e sem maiores reflexões; apesar de no pós-abolição da escravidão as pessoas brancas terem assumido para si e os outros uma posição de que exteriorizar racismo é “feio” (e também pela criminalização da discriminação racial), o preconceito e a discriminação sobrevivem, geralmente de forma velada, “cordial” ou mesmo “inconsciente” ; muitos brasileiros brancos ACREDITAM MESMO não serem racistas (e de fato não tem a intenção consciente de sê-lo…) , mas trazem embutida a mentalidade racista e enxergam com naturalidade a subordinação social e subrepresentação negra, bem como, as imposições eurocêntricas (cabelo liso= bom, cabelo “duro” = ruim, nariz afilado= bonito, nariz largo= feio, “beleza europeia”= boa, “beleza afro” = “não existe”, comportamento bom= “lord/gentleman/dama”, comportamento ruim= “é de índio”, cristão= bom, religião afro= “demônio”, cor branca = pureza /paz, cor preta = mal/ pecado, e por ai vai…) .

Concluindo, do ponto de vista legal, Rodrigo Lombardi não foi racista (não fez declaração intencionalmente depreciativa, ofensiva ou racialmente injuriosa), mas do ponto de vista antropológico/sociológico e de forma “inconsciente” e involuntária, podemos dizer que ele ”deixou escapar” sua mentalidade racista (e obviamente eurocêntrica) ao enaltecer um negro, retirando-lhe a ”negritude” e atribuindo-lhe de forma “honorária” características pretensamente “superiores” e brancas (loiro, de olhos azuis , etc…, uma descrição de “homem ideal” em nada diferente da defendida por eugenistas e nazistas…), quem “não viu nada demais” na declaração sofre do mesmo problema de mentalidade racista inconsciente… ; fazendo parte daquela turma que usaria sem problemas a expressão “preto de alma branca” para “elogiar” uma pessoa negra; tem gente que não percebe que colocar uma característica “racial” do grupo historicamente “dominante” como “ideal e superior” tem o mesmo efeito prático de inferiorizar as dos outros.

Porém há males que vem para bem…, sendo o ator Rodrigo Lombardi uma pessoa (pelo menos na minha impressão ) que é “do bem” e dada a sua exposição midiática atual, creio que o mesmo já deve ter refletido sobre o fato e deve se engajar de alguma forma no combate a esse tipo de mentalidade geral e inconsciente, a polêmica também deve estar levando muita gente a refletir…

Fonte: Blog do Juarez

Nuve(n)Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.