O PASSADO E O PRESENTE DA RIBEIRA

Situada na região da Cidade Baixa, em Salvador, a Ribeira é um dos mais antigos bairros da capital baiana. A região é conhecida por compreender uma grande quantidade de bares e restaurantes, além de um dos pontos turísticos mais visitados da capital: a praia da Ribeira.


A história do bairro foi iniciada através da atividade marítima. No começo, a calmaria das águas atraiu aldeias de pescadores, que começaram a usar àquela parte da “Baía de Todos os Santos” como abrigo para suas embarcações. Daí o nome Ribeira, expressão portuguesa que significa ancoradouro para reparação de naus. Arquitetada em 1745, a Igreja Nossa Senhora da Penha de França, situada na Avenida Beira Mar, próximo ao terminal marítimo, é uma das mais antigas construções do bairro. O templo abrigou o oitavo Arcebispo da Bahia e do Brasil, Dom José Botelho de Mattos, que ficou exilado por nove anos no santuário, governando de lá a Arquidiocese.

A partir do século XX, o bairro foi evoluindo e se tornou lugar de veraneio para as famílias da classe alta baiana. Nesta época, a região dispunha de um hidroporto, no qual, antes da instalação do aeroporto, desciam os aviões com políticos e artistas em Salvador. Hoje, a localidade é conhecida como Enseada dos Tainheiros, onde está a mais antiga raia de remo do Brasil e acontecem as disputas de esportes náuticos.


Aos poucos foram se formando as ruas, vielas, fábricas e todas as composições de um bairro movimentado, próprio de cidade grande. A Ribeira cresceu e, atrelada a esse crescimento, uma nova dinâmica se instituiu; a calmaria deu lugar ao som de casas de show, bares com música ao vivo, sons de carro e muita agitação. As noites têm sido marcadas por apresentações de artistas de toda a cidade. Axé e pagode são os ritmos predominantes. Em contrapartida algumas tradições são conservadas pelos moradores como colocar as cadeiras nas calçadas no fim da tarde, para conversar acompanhando o pôr do sol, e o bate-papo seguido da velha banca de dominó de senhores nas praças.

Para quem quer se encontrar no bairro, um dos principais pontos de referência é a Sorveteria da Ribeira, que completa 80 anos em 2011. O ambiente, que fica de frente para a praia, é ponto de encontro não só para quem mora ali, mas, também, pra muitos que vêm de fora. A beleza natural do mar, a simplicidade das pessoas, um dos mais bonitos pores de sol da cidade fazem da Ribeira um bairro diferente, com peculiaridades que orgulham os nativos e atrai turistas de todo o mundo.

Cris Manaia – Colaborador do Nuve(n)Digital e Criador do blog crismanaiatextos

Um Comentário para: “O PASSADO E O PRESENTE DA RIBEIRA

  1. Pingback: MEMÓRIA INCERTA DA RIBEIRA | Nuvendigital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.