FAMÍLIA DO MOTORISTA DO CAMARO PAGA FIANÇA DE R$ 245 MIL

Impunidade?

Um motorista de dezenove anos, que dirigia um carro de luxo, se envolveu em um acidente e deixou quatro pessoas feridas, em São Paulo. Uma das vítimas teve noventa por cento do corpo queimado. O motorista foi preso em flagrante.

Porém, hoje saiu uma nova nota sobre esse episódio, vejam:

APÓS VENDER BENS, FAMÍLIA PAGA FIANÇA DO MOTORISTA DO CAMARO

A família de Felipe de Lorena Infanti Arenzon, 19 anos, preso na última sexta-feira (30) após bater com seu Camaro em seis


veículos e deixar quatro pessoas feridas em São Paulo, pagou a fiança de R$ 245 mil para colocá-lo em liberdade na tarde de hoje.

Para conseguir o valor, os familiares de Felipe venderam um carro e um imóvel, segundo o advogado dele, João César Cáceres.

Felipe responde a um inquérito policial no qual será indiciado sob suspeita de tentativa de homicídio, embriaguez ao volante e fuga de local de crime.

Ele estava preso na carceragem do 72º DP, na Vila Penteado, zona norte, desde o dia em que ocorreu o acidente.

Cáceres disse ainda que o rapaz está “destroçado” em decorrência do acidente, assim como a família. O pai dele, o vereador de Embu das Artes Milton Arenzon (PMDB), está tomando calmantes, de acordo com o advogado.

A fiança de R$ 245 mil foi fixada pelo juiz Rodrigo de Azevedo Costa, do Dipo (Departamento de Inquéritos Policiais), que aceitou pedido de liberdade provisória feito por Cáceres. Ele levou em consideração o fato de que Felipe não tem antecedentes criminais, tem endereço fixo e trabalha.

Camaro destruído após acidente que deixou cinco pessoas feridas na av. Inajar de Souza, na zona norte de SP
Camaro destruído após acidente que deixou cinco pessoas feridas na av. Inajar de Souza, na zona norte de SP

CAMARO

Felipe foi preso depois de causar uma série de acidentes com seu Chevrolet Camaro. O jovem saía de uma balada.

Segundo a polícia, Felipe estava embriagado. Ele foi preso em flagrante. O veículo custa cerca de R$ 200 mil.

A série de acidentes começou na avenida Sumaré (zona oeste de SP), onde o jovem em alta velocidade bateu em menos quatro veículos. Ele só parou após atingir mais dois carros na avenida Inajar de Souza (zona norte). Felipe, segundo a polícia, ainda tentou fugir a pé se escondendo em uma casa na região.

Os acidentes aconteceram em um intervalo de menos de uma hora e em um trajeto de 8,5 km. Na última batida, uma Towner pegou fogo e o motorista Edson Roberto Domingues, 55, ficou gravemente ferido.

“Só o rosto dele não foi atingido”, disse Francisco Neco Mendes, 40, amigo do motorista ferido.

O helicóptero Águia da PM foi acionado para resgatar a vítima na Inajar de Souza, que teve o trânsito interrompido durante a manhã de sexta-feira. Domingues continua internado em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital das Clínicas.

Além da Towner, na Inajar, Felipe também bateu em um Palio, com três pessoas. As vítimas tiveram ferimentos leves. A polícia investiga se entre os dois acidentes Felipe também teria atropelado pedestres na ponte da Freguesia do Ó.

O delegado Marcos Flório Manarini, do 28º DP (Freguesia do Ó), disse que o motorista se recusou a fazer o teste do bafômetro e que dentro do Camaro havia uma lata de cerveja. “Ele apresentava odor etílico, voz pastosa e dificuldade de se expressar”, disse o delegado.

Felipe foi levado ao IML (Instituto Médico Legal), onde passou por exames que vão confirmar se ele estava ou não alcoolizado. O jovem, diz a polícia, provocou os acidentes após sair da boate Villa Country, na Barra Funda (zona oeste).

Testemunhas disseram à polícia que Felipe invadiu a motofaixa na Sumaré e quase atingiu um motoqueiro antes das colisões.

Parte do para-choque do Camaro ficou caído na avenida. “O Camaro passou voando e estourou o meu retrovisor. Parecia que nada ia detê-lo”, disse a professora Elissa da Costa Mattos.

“Parecia cena de filme”, falou Gilberto Costa de Oliveira, 47, professor, e que teve seu Fiesta, comprado há 15 dias, batido.

OUTRO LADO

Na sexta-feira, o advogado Cáceres disse que seu cliente estava em estado de choque e sem condições de narrar o que havia acontecido. “Até agora [noite desta segunda-feira], ele não consegue entender tudo aquilo. Ele é um rapaz que não tem histórico de bebedeiras e é trabalhador.”

O pai de Felipe passou mal ao saber dos acidentes causados pelo filho e precisou de atendimento médico. “A gente vê isso toda semana, mas nunca imagina que vai se passar com a nossa família. Só posso pedir desculpas às vítimas e aos seus familiares. Lamento muito o sofrimento dessas pessoas”, disse o vereador Arenzon, na sexta.

Segundo ele, o filho comprou o Camaro envolvido nos acidente há cerca de dez dias, em sociedade com um irmão e outro parente. “Fui saber que ele estava com esse carro quando me falaram do acidente. Ele mora com a avó [em Pinheiros, zona oeste de SP]. Sempre foi um menino trabalhador e nunca se envolveu em confusão. É tudo muito triste.”

Fonte: http://www.folha.uol.com.br/

 

Nuve(n)Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.