DISLEXIA – UM INIMIGO SILENCIOSO

 

(6 a 10% da população mundial sofre de Dislexia)
(6 a 10% da população mundial sofre de Dislexia)

A dislexia é uma dificuldade no aprendizado que segundo algumas pesquisas feitas até hoje atinge de 6 a 10% da população mundial. Pessoas disléxicas podem encontrar muitas dificuldades em seu dia-a-dia mas, nenhuma delas se compara com as dificuldades encontradas na sala de aula.

>> Leia mais sobre a lei que regulamenta o diagnóstico da dislexia


Notas baixas, evasão escolar, dor de cabeça, depressão e até delinqüência (já que muitas pessoas marginalizadas acabam por também serem disléxicas) são alguns dos problemas que já foram ligados a dislexia em sala de aula. Alunos disléxicos, em sua maioria, se sentem isolados e incompetentes, pois tem de conviver com uma seqüência de resultados negativos ligados a forma como processam os símbolos usados na leitura, escrita e até na matemática.

Em alguns países, como os europeus, a dislexia tem status de deficiência, porém, isso não quer dizer que os disléxicos que vivem nestes países não façam determinadas atividades ou exerçam certas profissões, muito pelo contrário, nesses países, “suas necessidades especiais” têm uma atenção especial das instituições de ensino e empresas.

>> Conheça o site dislexia em adultos

Em todo o mundo escolas e empresas podem e deve fazer muito para melhorar a vida dos disléxicos. Ações simples, como fixar nomes de funcionários nas portas, entradas de departamentos e crachás, ajudam a minimizar problemas de memória; o uso de um processador de texto, com corretor ortográfico, reduz o tempo e a energia gastas com problemas de grafia e ortografia; e por último, a disponibilização de informação em formas complementares, como em formato de áudio, audiovisual, impressos e diagramas facilitam a compressão e absorção do conteúdo.

É importante lembrar que a dislexia não é uma doença. Na verdade ela (parece) interferi na forma que certas pessoas usam e reconhecem símbolos. Os que sofrem de dislexia tende a ter problemas com leitura, escrita e grafia, que são comuns em crianças e também em adultos disléxicos. Caro leitor, só para exemplificar. – Imagine as dificuldades resultantes de se ter apenas 23 letras para representar 31 fonemas… Este é exatamente o caso da língua portuguesa.

Apesar de todas as dificuldades, os que sofrem de dislexia apresentam uma inteligência e criatividade peculiar.

Texto: Fábio Batista Santos (Mestre em Comunicação pelo Goldsmiths College, University Of London – Reino Unido) – Edição: Wanessa Marçal

4 Comentários para: “DISLEXIA – UM INIMIGO SILENCIOSO

  1. A dislexia, muitas das vezes,é um problema , silencioso que nem sempre é percebido,e causa muito sofrimento,pois, quem ofre não consegue identificar o que acontece, passando assim, por desleixado, desinteressado, preguiçoso, pois se ele não entende o que está sendo dito, ele desvia totalmente o foco , as palavras ficam confusa na sua frente, seu nervosismo é evidente por não conseguir,se expressar.

  2. Olá Zelinda, Obrigado pelo comentário. Concordo com você. Os rótulos são sempre uma fonte de sofrimento e que precisam ser combatidos com informação de qualidade.

    Por isso, Criamos uma comunidade lá no Facebook para agregar o pessoal que procura e pode compartilhar soluções sobre dislexia, se quiser participar será bem vinda!O nome da comunidade é Dislexia soluções segue o link da página http://www.facebook.com/groups/231280410288945/

  3. oi sou edjaelma e sou academica do curso de pedagogia na faculdade de imperatriz – facimp aki em imperatriz maranhao, apresente um trabalho academico sobre dislexia pois axei o tema muito bom pois sempre estamos nos deparando com essas dificuldades em nosso meio. o que eu consegui apresentar foi muito pouco mas pontos importantes que deve-se levar em consideracao sobre essas dificuldades. como academicas do curso de pedagogia queria receber sempre informacoes pra que possa ficar bem informada e passar tbm atraves das aulas na academia para os demais colegas. obrigada e parabens pela divulgacao.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.