AMBULANTES SE TRANSFORMAM EM ARTISTAS

“Mete a mão, preciso comprar o pão! Não quero passar fome não, tenho que levar comida para mesa e garanti o leite do meu filhão”.- Vendendor Ambulante anônimo de Salvador”


“Eu poderia está me prostituindo, roubando ou traficando. Desculpe-me por interromper o silêncio da viagem de vocês, mas, estou aqui meus caros passageiros vendendo o meu produto” – Vendedora ambulante anônima de Salvador”

Banca de camelô na Praça XV, em Porto Alegre, Brasil. Foto de Ricardo André Frantz

Essas são algumas palavras usadas por alguns vendedores dentro do transporte coletivo na capital baiana. Eles usam todas as suas habilidades com a comunicação para despertar a atenção do público. Muitos deles se transformam em poetas, jornalistas e artistas: tudo isso para driblar a concorrência. O ônibus se transforma em palco, para essa nova geração de atores, poétas, artistas, cantores, jornalistas e até mesmo transformistas, que enfrentam todas as dificuldades para a garantia da lei da sobrevivência.

O Transporte coletivo é um “shopping”, o comércio é tão grande que a população encontra de material comestível á produto doméstico. Segundo Israel Souza que é baleiro ( vendedor de balas) e trabalhava de carteira assinada em uma empresa privada, pai de um filho, e todos os meses tem que dá pensão para o filho, se vira como pode, quando não está vendendo no ônibus, ele trabalha de serviços gerais em um bar próximo ao local onde mora. “Tem dias que o faturamento é maior que o outro dependendo da notícia que eu passo para os passageiros… Quando é horário de pico vendo muito mais”, afirma Israel.”Mas em Salvador a fila do Sim e do Sine é extensa e a barriga não espera temos que ir a luta”, afirma Nair Andrade 65, anos, empregada doméstica,


A nossa equipe entrevistou alguns deles para saber qual a principal dificuldade encontrada quando entram nos ônibus, eles responderam que alguns motoristas são tolerantes e outros são arrogantes, mas segundo eles que isso faz parte do cotidiano, o principal de tudo é usar a educação dar um bom dia, boa tarde ou boa noite e dirigir até o motorista e oferecer gratuito se for caso um bombom ou picolé, porque eles trabalham e sentem fome isso tudo ajuda no ciclo da amizade. “No momento da demonstração do produto, muita gente vira a cara, mas tem que ser persistente e erguer a cabeça e ir em frente.”

A falta de especialização é a principal causa do desemprego em Salvador, isso porque as empresas buscam profissionais capacitados com cursos técnicos e/ou profissionalizantes, para ocupar seus cargos e o mercado não dispõe de tais funcionários. Muitas vezes sobram vagas no mercado de trabalho por  falta de experiência e graduações de  profissionais em  diversas áreas.

A quantidade de etapas e testes de uma selecção, o desgaste físico e a falta de dinheiro para o pagamento da tarifa de  transporte público até o local da entrevista, são todos aspectos que contribuem para a desmotivação e eliminação de candidatos na hora da selecção. Segundo a informação dada pela Pesquisa de Emprego e Desemprego, realizada pela SEI em parceria com o Dieese, Seade e Setre, em abril a taxa de desemprego total da Região Metropolitana de Salvador foi de 15,7% da População.

Por: Ana Lucia Oliveira, Edição Fabio santos e Cicero Sena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.