AS PERIPÉRCIAS DO TRANSPORTE COLETIVO

Segundo especialistas, a ginástica laboral começou a ser compreendida como um grande instrumento na melhoria da física do trabalhador, reduzindo e prevenindo problemas ocupacionais, através de exercícios específicos que são realizados no próprio local de trabalho. Mas quem pensa que a ginástica laboral é feita só nas empresas está muito enganado!

Cerca de 80% dos soteropolitanos que utilizam o transporte coletivo executam ginástica laboral. Basta pegar o ônibus no horário de pico que inicia o exercício, é mão para cima, mão para baixo, vira de lado, estica o pescoço e aquece as pernas.

Mas para os algumas pessoas que fazem esse exercício diariamente nesse meio de transporte fica evidente, que surte efeito em pouco tempo, ficando notável o aumento de desânimo para o trabalho, aumenta o stress, entre outras alterações extremamente visíveis.

Todos esses fatores promovem a insatisfação pessoal e a baixo estima, isso demonstra a precariedade de transporte coletivo de Salvador. A concorrência por um espaço dentro do ônibus é tão grande que se retirar a mão do lugar por distração, vem outra pessoa e toma seu espaço.

Além do exercício físico é notório ouvir o som da Timbalada que inicia com o batuque na porta traseira do ônibus. É uma forma de sinalizar o motorista que tem alguém para entrar.

Uma matéria escrita por Cristiano Manaia, publicada pela nuvendigital, diz que dentro do ônibus, se pode observar pessoas que cochilam, outras leem, algumas simplesmente observam as ruas através da janela. E que de repente alguém, em alguma parte do ônibus, ligou o som do celular no viva voz ou deu play em seu mini aparelho de som, que chama a tenção de todos que viajam. Uma música no último volume, os passageiros começam a ouvir diversos tipos de músicas, desde o pagode até o arrocha.

O interessante é que animação é tanta que basta pegar o ônibus Terezinha Pituba no horário de 6h40, para notar a criatividade de um Djs, que adaptou uma caixa de som no celular. Mas esse passageiro além de ser muito educado é solidário, basta o telefone de alguem tocar ele abaixa o volume para que possa atender o telefone.

Apesar do desconforto o ônibus é um local atrativo, onde pessoas fazem amizades e comemoram de uma data festiva a um aniversário.

Por: Ana Lucia Oliveir com edição de Fábio Santos e Cícero Sena

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.