AVIÃO A BASE DE AR, SISTEMA DE IDENTIFICAÇÃO DE CRIMES – AS INVENÇÕES TECNOLÓGICAS DO FUTURO QUE PROMETEM

Tecnologias que prometem
Tecnologias que prometem

os dias empresas dos mais diversos setores de produção apresentam  novidades, criadas por meio de pesquisas ou investimentos, que aumentam a eficiência do processo produtivo ou que implicam em um novo produto aprimorado. Estes produtos e processos definem o que nós chamamos de inovações tecnológicas.

E as criações surgem em todos os campos. Você já pensou, por exemplo, em viajar num avião que funciona a base de ar ou de luz solar? Pois é, a Nasa constrói aviões solares desde o final do século passado, inclusive um deles está prestes a dar a volta ao mundo, porém o estudante Wesam Al Sabban da Universidade de Queensland, na Austrália, está criando um avião que além de utilizar a luz do sol, também faz uso do ar quente para funcionar.

E aquelas reações químicas que acontecem em questão de milésimos de segundos, que de tão rápidas não podem ser visualizadas? Os químicos não terão mais esta limitação. É que um grupo alemão criou o primeiro laser de raio x atômico, emitido a partir do bombardeamento de átomos com raios x muito poderosos. O raio possui uma luz ultra-pura que permitirá a visualização de reações químicas  extremamente rápidas, que nunca puderam ser vistas e estudadas antes.

Mas o Brasil não fica atrás no que diz respeito às inovações tecnológicas. Estudantes da Escola Politécnica da USP desenvolveram um controle remoto sensorial que permite controlar uma TV apenas com gestos. A invenção foi desenvolvida a partir de um dispositivo da Microsoft, que possibilitou a captação e identificação dos sinais da TV, tendo como base o Xbox 360, que permite ao jogador interagir com o aparelho sem usar o controle manual.

Agora, sabe aquelas coisas que a gente vê na ficção e em seguida dizemos que só acontece em filme? Estrelado pelo ator Tom Cruise, o filme Minority Report parece ter inspirado o governo dos EUA. Cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia receberam do governo norte-americano a tarefa de desenvolver um sistema que identifique um crime ou uma ameaça antes que eles ocorram.

A grande novidade deste conceito que ficou famoso no cinema, é que a tecnologia do Instituto já criou interfaces gestuais bem mais avançadas do que as mostradas no filme. Pelo visto as telas 3D já são coisas do passado diante das inovações atuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.