AINDA É PRECISO FAZER MUITO PELA QUESTÃO RACIAL NO BRASIL

Promulgada em 2003, a Lei 10.639/03 que institucionaliza a obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira nas escolas públicas e particulares. Já são quase 10 anos e será que existiram mudanças quanto ao preconceito racial no Brasil?

Em 2011 o censo Brasil pela primeira vez na história do país revelou que a população negra e parda estava em maior número que as demais. Isso não significa obviamente que surgiram novos negros no país, o que ocorre hoje é que mais pessoas se aceitam como tal. É possível que a inclusão de temáticas que envolvem cultura afro nas escolas tenha contribuído para a melhor auto aceitação no negro brasileiro sobre si.

Entretanto censo mostra que ainda existe uma grande distância entre negros e brancos no quesito renda. Cerca de 70% das pessoas que vivem com R$70,00 por mês ou menos.De acordo com a pesquisa, brancos e amarelos tem salários superiores aos negros em 2,4 vezes.

Mesmo com cotas raciais, financiamentos estudantis e leis que buscam as temáticas étnicas nas escolas geradas pelo governo federal ainda é preciso de mais tempo e esforço para solucionar os problemas.

cicero sena

Jornalista graduado na Faculdade 2 de Julho em 2011.1. Atualmente trabalha no Blog NuvenDigital e executa serviços de freelancer. É possível encontrar outros textos de Cicero Sena em istoeumabanana.blogspot.com.

cicero sena

Sobre: cicero sena

Jornalista graduado na Faculdade 2 de Julho em 2011.1. Atualmente trabalha no Blog NuvenDigital e executa serviços de freelancer. É possível encontrar outros textos de Cicero Sena em istoeumabanana.blogspot.com.

Um Comentário para: “AINDA É PRECISO FAZER MUITO PELA QUESTÃO RACIAL NO BRASIL

  1. Pingback: COMO SABER SE O PRECONCEITO SOCIAL ESTA FALINDO A SUA EMPRESA? | Nuvendigital

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ oito = 10

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>