O PODER DA MOTIVAÇÃO: GENIALIDADE E AÇÃO

Há uns dias atrás, fui assistir a um dos três seminários incluídos no meu mestrado. Este era subordinado ao tema “como desenhar e defender uma tese” e o orador o Prof. Doutor Ricardo Morais.

O Professor dizia que todos somos potenciais génios, (com o qual eu concordo) e por isso, o que faz a diferença é a nossa motivação (também concordo). Mas surge-me uma questão, se somos todos potenciais génios então deveríamos estar todos igualmente motivados. Mas na realidade assim não acontece, todos nós conhecemos pessoas mais e menos motivadas, a nossa própria motivação tem dias… O que acontece então?

Provavelmente, grande parte das pessoas não tem noção da sua genialidade, vocês acham-se geniais? Não! Pois fiquem a saber que sim! Todos nós somos! A sociedade não está organizada de maneira a deixar que a genialidade de cada um se manifeste. Nem sabe reconhecer alguns tipos de genialidade. Mas nós, os génios, não devemos utilizar a sociedade como bode expiatório.

Não se deve citar a Wikipédia, mas este não é um trabalho científico e eu gostei da definição. (Wikipédia, 2012) Motivação impulso interno que leva à ação. Há nesta definição três conceitos que merecem a nossa atenção: Impulso, Interno e Ação. Vamos explorá-los.

Impulso:

Se eu disser que o impulso não é pensado, que é uma reação a um sentimento, parece-me acertado. A motivação não é um princípio, é uma consequência, uma reação a um ou mais sentimentos. Por exemplo, o que me motiva a escrever este texto? O prazer! O prazer de escrever, de expor as minhas ideias. O que motiva a alguém matar outra pessoa? São sentimentos como raiva, vingança, inveja, medo. O que motiva uma pessoa a oferecer flores a outra? O amor, a gratidão, a amizade, o respeito. Por trás da motivação estão sentimentos.

Interno:

A motivação é algo interno, está dentro de nós e por isso é um erro andar à procura dela no exterior, até mesmo porque não precisamos procurar uma coisa que nos é inata. Vocês podem dizer – Mas como? Se eu não me sinto motivado! Há tanta coisa que nós não sentimos.

É preciso parar para podermos sentir, perceber o que nos motiva, muitas vezes até sabemos, mas optamos por seguir outro caminho, julgando que é o melhor para nós. Não podemos querer encontrar motivação onde não há. Como uma qualquer fórmula mágica. Ou, por vermos os outros motivados pensarmos que também nós devíamos estar. O que motiva os outros não tem de nos motivar. Temos de sentir a nossa motivação, não a dos outros, por mais importantes que eles sejam para nós.

Ação:

Eu diria que a motivação é uma reação em forma de ação a um ou mais sentimentos. Ou seja, não se pode falar em motivação se não houver ação. A razão pela qual procuramos a motivação é por ela provocar ação. Quando nos dizemos eu queria estar motivado o que nós procuramos é a vontade de agir. A motivação fica entre o sentir e o fazer. Uma boa forma de compreendermos o que nos motiva é analisando as nossas ações.

Resumindo, se queremos andar motivados, temos de dar mais atenção aos nossos sentimentos e segui-los, os bons claro!

2 Comentários para: “O PODER DA MOTIVAÇÃO: GENIALIDADE E AÇÃO

  1. Motivação e o combustível do ser humano. Sem ela muito do que alcançamos não seria alcançável. Ela esta por trás da criatividade da genialidade e da realização. Fico muito feliz de ter este texto publicado aqui no nuvendigital. Felicidades e muitas visitas Álvaro.

  2. Fábio obrigado pelas suas palavras. Agradeço o seu voto de confiança em forma de convite para escrever um texto para o Nuvendigital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.