Como escrever um livro de ficção

Varenka de Fátima
Escrever um livro de ficção pode parecer um desafio. Mas é um processo simples e continuo. Imagem do capítulo As Maravilhas de Salvador no Livro Fatos e Fotos da Poetisa e escritora Baiana- Pernambucana Varenka de Fátima Araújo/Editora Sucesso

É comum ver novos escritores e pessoas aficionadas por literatura bem curiosos de saber  mais sobre como escrever um livro de ficção. Afinal de contas, os livros nunca foram tão populares no Brasil como são hoje. Basta olhar a lista dos livros mais vendidos.

Mas, escrever um livro é algo simples e foi descrito belamente pelo poeta Chileno Pablo Neruda da seguinte forma: “Escrever é fácil. Você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio você coloca ideias”

Além disto,  quando o assunto é literatura, bons livros de ficção geralmente desencadeiam  uma sequência de trabalhos baseados em sua trama principal no cinema e na televisão.  Exemplos recentes como Crepúsculo e Cinquenta tons de cinza estão aí para provar esta  crescente fluidez que possibilita a adaptação de um mesmo trabalho em várias plataformas diferentes. Mas como começar um livro, ou como escrever um romance?

Mas, o glamour da profissão de escritor acaba justamente onde ela começa, na folha de papel em branco. Escrever um livro é um trabalho como outro qualquer, no que diz respeito a requerer 10% de inspiração  e 90 % de transpiração, ou seja,  muita técnica, estudo e determinação.

Mesmo assim, todos nós conhecemos histórias de autores que escreveram seus livros só para serem rejeitados por editoras ou publico, e depois de algum tempo foram re-descobertos e ganharam fortunas. Este foi o caso da escritora da série de livros Harry Potter, a escritora Britânica JK Rowling. No entanto, a grande maioria dos escritores vive como qualquer outro profissional, a única diferença é que eles amam a palavra escrita e trabalham com o que gostam.

E foi por isto que abaixo separamos 7 dicas para quem quer tirar aquela bela história da mente e escrever um livro de ficção pela primeira vez.

Os 7 passos de como escrever um bom livro de ficção

 

#1Tenha o domínio básico da língua portuguesa.

Ela será a sua ferramenta de trabalho. Digo aqui domínio básico, porque o tal domínio completo da língua portuguesa é só para os imortais da Academia Brasileira de letras. Mas,  não se preocupe em escrever cada sentença perfeitamente, faça o melhor que puder e estude sempre. Pois, até mesmo os maiores escritores utilizam, corretores. Corretores, são pessoas que simplesmente corrigem os textos antes deles serem publicados. E mesmo eles deixam passar erros. Existem até programas online que fazem um trabalho preliminar de correção. (leia nosso artigo sobre corretores ortográficos)

“A sintaxe é uma questão de uso, não de princípios. Escrever bem é escrever claro, não necessariamente certo. Por exemplo: dizer “escrever claro não é certo mas é claro, certo?”Luís Fernando Veríssimo

#2Escreva sobre o que você sabe ou conhece.

Isto não é uma imposição, mais uma dica. Isto até porquê,  escrever também é descobrir coisas novas. Mas o que quero dizer aqui, é que  muitos escritores novatos  têm a tendência de começar a escrever sobre coisas que eles apenas imaginam mas não conhecem muito bem.  Não se preocupe, isto é normal, eu também fui assim quando coloquei a caneta no papel pela primeira vez queria escrever sobre coisas que não tinha a menor noção.

Um exemplo disto,  é  por exemplo, um morador de uma metrópole, e que nunca pisou em um parque  querer escrever uma história  de 600 páginas sobre  uma  tribo de índios perdidos no litoral da Bahia. Não é que isto não seja possível, mas, sem que ele mesmo tenha visto um índio de perto ou pesquisado sobre eles na vida o trabalho dele pode correr o risco de não passar realidade.

Isto  acontece porquê ficção não é realidade, mas o que acontece no livro precisa parecer real para os personagens e acreditável para o leitor. Se o contrário  disto acontecer, o leitor pode  não querer terminar o livro. Outro exemplo do mesmo desafio,  é  um jovem querer escrever sobre as dificuldades de um sexagenário, quando ele mesmo, nunca conviveu com um, e assim por diante.

A Esquerda da FotoVareka de Fátima, escritora, poetisa, atriz, Maquiadora e Figurinista Em evento na Academia de Cultura Da Bahia

O ponto aqui não é matar o seu desejo de querer escrever sobre coisas desconhecidas, mas lembrar que se desejar escrever sobre o desconhecido, este terá de se tornar conhecido antes das letras ganharem o papel. Além disto, quando escrevemos sobre coisas que nós não conhecemos temos dois trabalhos: o primeiro é aquele  de  pesquisar (laboratório) e entender a matéria de que gostaríamos de escrever; e o segundo deles e escrever a trama em si.

“Escrever um livro de ficção é em alguns aspectos um pouco complicado. Isto porquê, requer escrever de coisas que muitas vezes não conhecemos. Quando eu escrevo uma crônica, como algumas que falo de meu Pai e Minha Mãe, é mais fácil por que eu já vivenciei o que eu escrevi. Quando eu escrevo uma ficção, acabo tendo que me baseia em dados de outras pessoas. Por exemplo, no conto A cigana e a Mijona  pág 22, eu me baseei em uma conversa que alguém me contou em um consultório e depois, eu transformei em um conto. O poeta escreve muito sobre o que se sente, O escritor de ficção acaba dependendo mais de fatos. Na ficção você tem vários caminhos. Algumas pessoas se baseiam só em fatos e desenvolvem a sua narrativa, já outras criam tudo da imaginação. Mas independente do caminho escolhido, é sempre preciso ter uma vivência bem grande sobre o que eles querem escrever. Mas é sempre um desafio. É preciso ser conhecedor sobre o que se quer escrever.”  Opinião Varenka de Fátima Araújo -Autora da coletânea de contos fatos e fotos.

#3Crie personagens únicos, reais e atraentes.

Um  bom livro sempre vem recheado de personagens únicos, especiais e  muitas vezes inesquecíveis.  Personagens precisam ser como as pessoas que vemos nas ruas, no cinema, na calçada, na vida real,  isto é, precisam parecer de carne e osso, mais descritas em palavras. Lembre-se dos seus autores favoritos e se recorde como os personagens  deles pareciam sair das folhas e falar com você.  Lembre-se de como os problemas deles pareciam reais e como a voz de cada um era única. Lembre-se  como eles tinham sotaques,  histórias próprias, trejeitos, fobias,  problemas de família e tantos outros traços únicos de personalidade.  Por isto seja generoso, dê uma  boa história a cada um de seus personagens.

#4Crie cenários que mostrem ao leitor mais sobre o personagem.

Tão importante quanto os personagens em uma obra de ficção são os cenários. Na verdade o proprio cenário pode ser um grande personagem. Lembre-se de romance  Robinson Crusoe, escrito por  Daniel Defoe em 1719,  em que a ilha,  perdida e isolada, um  ambiente inóspito em volta do protagonista acaba sendo mais um personagem do livro, as vezes vilão, outras vezes acalentador, mas nunca um fundo sem com e incapaz de instigar sentimentos, lembranças e desejos.

#5Sempre que possível dê objetivos aos seus personagens assim como no cinema.

Pinóquio queria ser um menino de verdade. Bentinho queria saber a verdade sobre Capitu e sua suposta traição, Roboaldo  queria entender o que ele sentia por Diadorin. Todo personagem tem um sonho, desejo uma razão de existir. São os objetivos  e seus obstáculos o verdadeiro combustível da ação que nos atrai nos livos.  Sem ação não existe narrativa. Talvez poesia,  que também é bela, mas não uma ficção de verdade.

#6 Revise, revise, revise – seu texto várias vezes.

Escreveram atividade tão especial que muitos autores renomados o chama de re-escrever. Este artigo, por exemplo, tem quase um mês sendo escrito. E mesmo quando acreditar que ele está pronto, sei que ele não estará completo – O leitor sempre adiciona um sentido a cada frase. Para muitos autores de livros, não existindo duas palavras que significa a mesma coisa. Como já dizia a Clarice Lispector:“Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada.”

Assim, dentro de um trabalho de ficção, cada ponto, cada virgula, cada frase, cada linha que se constrói, precisa existir por um motivo específico, precisa ter uma razão de ser. Na literatura, assim como no cinema nada acontece por acaso.  Lembro-me de que na época do lançamento da Ministério O Auto da Compadecida pela rede Globo, foi revelada a rotina do autor Ariano Suassuna, me lembro da repórter dizer  que ele escrevia e re-escrevia cada página  cerca de 3 vezes ou até ele está feliz com o texto.

#7 Sempre que possível, procure outras opiniões sobre seu texto.

Uma vez  com o seu texto escrito em mãos, você vai precisar da opinião de pessoas em quem você confia sobre a qualidade do seu  trabalho. Isto vai te ajudar a fazer melhorias, cortar partes desnecessárias ou mesmo fazer adições.  Por isto, uma pessoa próxima e confiável, pode ler  o que escreveu e te dizer o que achou da história, assim fica mais fácil saber se comunicou o que queria. Para os que não conhecem, este é parte do trabalho de um editor profissional. Um bom escritor muitas vezes re-escreve trechos inteiros de texto em um trabalho a pedido dos editores editor.

E para os que chegaram aqui procurando um guia de como escrever um livro de ficção, este texto é só uma placa apontando para uma larga estrada  de conhecimento e informação sobre como escrever boas histórias. Uma dica que não entrou na lista acima mais é tão importante quanto qualquer uma delas é que a melhor forma de se aprender  a escrever, é  escrevendo e observando o bom trabalho dos outros, isto é lendo e relendo muitas obras literárias. E se possível,  cada vez de um ponto de vista diferente, a primeira vez como leitor, a segunda como critico a terceira como gramático e assim por diante até entendermos como o autor conseguiu aquele efeito, ou como ele comunicou aquela emoção.

Então porquê não aproveita  a oportunidade e deixa um comentário com sua opinião. Consegue imaginar alguma outra dica que seja útil para outros escritores? Alguma coisa que descobriu e  gostaria de compartilhar? Seus comentários são sempre bem-vindos.

E você, já decidiu como vai publicar seu livro? Se você já tem um livro ou trabalho de ficção escrito, não deixe de ver o nosso artigo sobre publicação digital de livros e como publicar livros grátis. É simples, prático e rápido.  Já, se está curioso e quer saber mais sobre o que são livros digitais leia este outro artigo.

2 Comentários para: “Como escrever um livro de ficção

  1. Ola Lucilene obrigado pela visita. Acredito que a melhor estrategia para escrever melhor é sempre ler e continuar escrevendo. Também tem a opção de você contratar um corretor ortografico, eles cobram por folha e fazem um bom trabalho. Desejo sucesso com seu projeto novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.