Cuidado Com as Grandes Empresas, elas não gostam de você….

Fábulas como João e o pé de feijão nos ensinam que o problema não é o gigante ser mal ou bom mas o simples fato dele ser um gigante já é um problema. Fonte Imagem Wikpédia

É verdade que o título deste artigo pode parecer amedrontador a primeira vista para alguns. Mas, tenho chegado a conclusão de que o que ele diz é bem verdade em muitos campos da minha experiência de consumidor tanto de produtos quanto de serviços, online e offline. Este artigo é uma opinião, por isto, o que digo aqui não pode realmente ser aplicado a 100% das “grandes empresas em todos os setores.E Isto porquê Existem exceções em todos eles. Mas certamente pode ser aplicado na minha experiência pessoal.E isto eu digo, pois, tenho percebido que quanto maior a empresa que lido, maiores são as chances de ficar com as mãos abanando e no prejuízo. E isto acontece com maior frequência quando o assunto é atendimento e suporte ao consumidor – O famoso SAC.

Ontem e hoje, vivi isto na prática. Decidi enviar um convite aos meus 9500 contatos por e-mail falando sobre o fim da promoção de nosso curso online de educação sobre a internet para empreendedores. Incluindo links para a informação de que o preço atual (R$59,99) vai voltar ao valor normal no fim de semana (R$149,00), e que aqueles que desejassem adquirir o curso poderiam, se desejassem, fazer isto antes do dia 21 de dezembro e assim aproveitar o desconto. Fiz uma conferência com amigos e passamos um dia planejando o e-mail para que ele não fosse spam, gerasse interesse não parasse em nenhum filtro. Por isto, decidimos incluir apenas texto simples e links, como é uma boa prática da comunicação eficiente.

Para tornar o link mais confiável e ajudar na hora de contar o número de cliks, decidi então inserir um link curto do Google URL shortner. Comecei a enviar os e-mails, e tudo estava funcionando bem, até que – Quando já tinha enviado 4.500 e-mails, o link, parou de funcionar. Sei disto pois estava o tempo todo monitorando. Decidi então clicar no link e vi a mensagem assustadora escrita em letras garrafais: this URL has been disabled.”Este link foi desabilitado”. – DECEPÇÃO

Fui então buscar na Internet e descobri que o Google faz isto para evitar spam. Também descobri que outras pessoas tiveram o mesmo problema e a pergunta deles era a mesma que passava pela minha mente a naquele momento.Porquê? Porquê? Porquê o Google não avisa na pagina principal do Google URL shortner que a url pode ser desabilitada se o sistema dele achar que ela faz parte de um spam? Afinal seria bem mais fácil evitar completamente o serviço. Faço minhas as palavras de um cliente: “é embaraçador enviar aos clientes e-mails com links quebrados” E adiciono que é ainda pior que isto exibir uma página com um texto em vermelho que a maioria dos internautas entenderia como ” Alguém queria me enviar um vírus”

O problema aquí é que na busca por combater spam o Google acabou criando mais spam. Pois, não é o link que faz o spam. Mas a falta de um link que funcione corretamente vai certamente criar um. O spam é algo indesejável e inútil – e podemos concordar que existem poucos e-mails mais indesejáveis e inúteis do que aqueles que não te levam a lugar nenhum. Ou seja, eu enviei 4.500 e-mails e agora eles viraram 4.500 spams. O URL shortner me transformou em spammer 🙁 E agora vou ter que enviar mais 4500 e-mails pedindo desculpas e endireitando a história, e para aqueles que não gostaram de receber um e-mail quebrado pode acabar sendo mais spam.

Mas, Infelizmente ou felizmente, parece que para as grandes corporações somos apenas números em um servidor ou nomes em uma longa lista de e-mails. E talvez realmente sejamos. É verdade que empresas como o Google são excelentes em outras áreas como produtividade e verificação. Já imaginou como seria útil se pudesse receber um torpedo quando esquecesse a senha da faculdade, ou como seria a sua experiência financeira seu banco te enviasse relatórios fáceis de ler e entender como os do Google Adsense e do Google Analitics? Mas, quais são as consequências disto ser verdade. E como nós consumidores podemos nos comportar de forma a nos proteger de sermos esmagados pelas Gigantes?

Uma pequena nota aos que não acreditam no perigo de se esquecer das gigantes

Já conversei com muitas pessoas que acham que as gigantes são boas e nos amam a todos, do fundo dos seus corações de papel e carimbo. Não discordo de que elas possam realmente ser boas no que fazem. Mas o que elas fazem não é muitas vezes o que elas dizem que fazem, e este é o grande segredo. Isto significa que se perder-mos o fio da meada podemos sim acabar sendo esmagados.

Vejamos o caso das duas maiores empresas da Internet Brasileira: Facebook e Google. Se formos olhar as propagandas das duas empresas, podemos acreditar piamente que o negócio delas é ajudar pessoas a se conectar com amigos, achar cachorros perdidos, criar campanhas na internet e tocar musiquinhas motivacionais. Mas, Isto não é bem assim, o que elas estão fazendo ai tem outro nome, e o nome disto na verdade é propaganda.

No final do dia, o verdadeiro negócio de uma empresa é aquele que gera lucro para pagar seus funcionários, diretores e acionistas. E se pensarmos assim, o verdadeiro negócio do facebook e Google é mostrar anúncios as pessoas e lucrar com eles. Simples assim e todo o resto gira em torno desta única atividade.

E é por isto que pessoas investem dinheiro neles e inundam seus cofres, pois eles usam este dinheiro para atrair pessoas e mostrar anúncios, gerando lucros e pagando de volta aos investidores. Isto quer dizer que esta é a prioridade deles, ao menos no momento. A questão de achar cachorrinhos perdidos e conectar pessoas é totalmente secundária. A maioria das pessoas ignora isto, Mas, a maioria das pessoas também perdem tempo e dinheiro o tempo todo, e saber de coisas como estas podem nos ajudar na hora de ganhar tempo e dinheiro.

Gigantes – Não é que elas sejam Más – só são grandes demais

Assim como empresas pequenas demais podem nos deixar na mão por não poderem atender as nossas necessidades. As Empresas grandes demais podem nos deixar na mão por sermos dispensáveis. Isto quer dizer que se formos embora e contratarmos outra empresa. Não iremos fazer diferença alguma. E as vezes isto é bem difícil de aceitar e até mesmo entender. Mas, não é tão ruim o quanto parece.

As empresas não estão ai para nos amar. As pessoas sim. Empresas existem para oferecer produtos e serviços. De forma prática, rápida e funcional. E aqui não cabe amor, mais sim, respeito, atenção e compromisso. Isto não quer dizer que as pessoas trabalhando na empresa não possam nos amar e ter um carinho especial por nós como clientes. Isto seria até mesmo esperado, pois ajudamos a pagar as suas contas e a viver melhor as suas vidas e ingratidão é a ultima coisa que gostaríamos de receber em troca. Ao menos é assim que eu me relaciono com os alunos do curso, faço o melhor, pois sei que são pessoas que poderiam investir o dinheiro que investiram no curso em qualquer outra coisa e isto, por si só, já as torna admiráveis. E trabalho para fazer o dinheiro deles valer o máximo. Já para as empresas gigantes este relacionamento pessoal não é possível já que elas são tão grandes que fica difícil e até mesmo caro para elas se comunicar com um só cliente. E mais barato se comunicar com grupos.

A situação então fica bem semelhante ao caso de João e o pé de feijão. E a maioria de nós já conhece o roteiro. João encontra os feijões, sobe até a casa do Gigante, rouba a pata que põem ovos de ouro e a harpa encantada e passa o resto da história tentando não ser devorado. Mas, se pensarmos bem e se o gigante não fosse um gigante, talvez os dois personagens tivessem até uma conversa amigável, ouvindo música enquanto o gigante mostrava a João suas riquezas e os dois poderiam até conversar horas falando sobre as diferenças entre os dois mundos. Infelizmente João era tão pequeno aos olhos do gigante que ele o viu como um invasor, da mesma forma que nós vemos ratos e baratas quando eles invadem sem ser convidados as nossas casas.

O tamanho ai é o elemento central em determinar uma relação de colaboração, competição, ou antagonismo. Por isto é muito beneficial procurar empresas que estejam ao nosso nível, e com que possamos nos comunicar diretamente. E isto não é por maldade das Gigantes, mas, sim porquê queremos ter bons resultados. Você se lembra daquela formiga que cruzou o seu caminho um dia destes? Provavelmente não, por isto você a esmagou. Formigas são pequenas e insignificantes aos olhos das pessoas, principalmente para as pessoas mais ocupadas. O que não quer dizer que elas não sejam importantes para a natureza e para as próprias pessoas. Mas, sim que pessoas ocupadas prestam menos atenção nas pequenas coisas a sua volta. E se experimentarmos tirar as formigas do mundo logo descobriríamos como elas são importantes.

Empresas Gigantes estão sempre muito ocupadas com as milhares de coisas que tem para fazer. Então se não quisermos ser esmagados, uma boa opção é procurarmos alguém do nosso tamanho para negociar. Um bom raciocínio é pensar: estou contratando esta empresa, mas se eu perder isto significa quanto para mim e para ela? Se um fracasso for muito para você e muito para a empresa em questão, vá em frente. Mas, se um fracasso for muito para você e nada para a outra empresa, talvez seja melhor procurar uma empresa menor.

No meu caso ao usar o Google URL shortner tive um fracasso de 50% para o Google provavelmente não ouve fracasso algum. Então como posso perder mais que ele não vou mais usar o serviço para coisas importantes.

Moral da história:

#1 Não use encurtadores de url para coisas realmente importantes.
#2 Para quem usa wordpress.org uma boa dica é adicionar um pluging que crie url menores em seu próprio domínio um deles é o Short URL Plugin

#3 Escolha tratar com empresas para quem você é importante, ou seja, se for comprar em outro lugar você fará falta.

#4 Procure evitar mandar campanhas de e-mail marketing todas de uma vez. Divida o total de e-mails em grupos e envio no decorrer do tempo. Isto pode te auxiliar a identificar bugs no processo.

#5 Enquanto não temos um código de defesa do consumidor de serviços online. A melhor dica para evitar problemas com produtos e serviços grátis, é procurar se educar para prevenir. Por isto criei o curso o curso online. Ele tem uma grade flexível e estamos adicionando conteúdo relevante relacionado a questões como esta: o que fazer, o que escolher como alcançar mais quando trabalhamos com a Imternet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.