Além do Tempo trama promete mudanças com transição de 150 anos para segunda fase da novela

O folhetim global Além do Tempo de temática espiritualista assinada pela autora Elizabeth Jhin surpreendeu por bater o mesmo índice de audiência da novela das 9 da Rede Globo, antecessora de A regra do Jogo, Babilônia, no seu último mês de exibição. Mas a trama das 18 horas ainda promete muitas reviravoltas.

Além do Tempo como novela de época resgata romantismo e bucolismo nos telespectadores

A novela que tem sua primeira fase retratando a vida de personagens no final do seculo XIV, ainda tem como garantia no seu roteiro uma mudança de ambiente e época que promete atrair bastante telespectadores. Mas, mesmo com a mudança indicada desde o início da trama alguns telespectadores já estão com saudade.

Uma leitora do Diário Gaúcho que publicou uma matéria intitulada Mortes trágicas marcam fim da primeira fase de Além do Tempo escreveu: “Desnecessário isso de mudar pros dias atuais, a graça e o encanto da novela é exatamente por ser de época, (que é a coisa mais linda, os costumes, o romantismo, respeito, o figurino, os cenários… essas coisas que nos encantam…”.

Ainda outro leitor escreveu apreensivamente “Lastimável que haja interrupção nestes momentos lúdicos que estejamos vivendo ao assistir “Além do Tempo”. Com passagem de tempo e vivência contemporânea dos personagens, certamente a novela cairá na mediocridade, violência, malevolência e escola e idéias de maldades a bandidos”. Para concluir em seguida “Se a autora foi feliz, levou o público ao surreal mundo dos doces sonhos, infelizmente, abruptamente interrompe estes sonhos e os traz aos reais pesadelos dos dias atuais. Que pena…”.

Além do Tempo duas novelas em uma só

Pelo seu tema que exalta o romantismo e por sair da realidade contemporânea Além do Tempo deixa alguns de seus telespectadores respirar um ar mais limpo longe do cenário de favela, violência, corrupção e toda problemática social quê tem ganhado tanta proeminência nas novelas contemporâneas.

Mas como a novela terá duas fases e trata do tema reencarnatório, já era esperado que tanto mocinhos quanto vilões da primeira fase precisarão morrer para que possam voltar no futuro, isto é, no presente. Tudo indica que Lívia personagem de Aline Moraes e Conde Felipe personagem vivido por Rafael Cardoso irão morrer, sim, vítimas de um plano traçado por Pedro personagem de Emílio Dantas em coluio com Melissa personagem vivida por Paola Oliveira. Em seguida, Melissa morrerá queimada em um acidente causado por uma vela.

Vilãs em uma vida – mãe e filha em outra o futuro de Emília e Condessa Vitória se cruzam uma vez mais

Outra personagem que surpreendeu o público é até causou mudança na trama da novela foi Emília, mãe de Lívia, que deveria ter morrido na segunda semana da novela e foi “ressucitada” devido ao carisma que criou com os fans da novela. A personagem é vivida pela atriz Ana Beatriz Nogueira. Na segunda fase da novela ela e a Condessa Vitória, Irene Ravach, devem se reencontrar mais uma vez, no entanto, desta vez se relacionarão como mãe e filha. Também acontecerá uma mudança de vilãs, já que Emília será a má da história.

Resta saber se com o passar dos anos, Berenice, Elisa Brites também entrará na trama, talvez para formar um quarteto romântico, ou apenas ficará na memória. Opiniões?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.